Fitoterapia

A fitoterapia é o estudo e aplicação de medicamentos de origem vegetal. Não é a mesma coisa que homeopatia, pois a fitoterapia trabalha exclusivamente com vegetais, e a homeopatia trabalha com medicamentos de origem animal, vegetal e mineral.

Embora ás vezes passe por crendices devido a popularidade, a fitoterapia é uma ciência bem séria, com centenas de publicações científicas comprovando a eficácia ou não dependendo da situação.

Não há mistério no porque das plantas auxiliarem no tratamento de diversas enfermidades, pois sabemos que elas produzem metabólitos secundários que auxiliam na manutenção das próprias plantas, tais substâncias quando exercem ação farmacológica é denominada de princípio ativo.

Uma única planta pode exercer várias ações medicamentosas, essa qualidade denominamos de fito complexos, porém a concentração pode diferir o que torna ela mais eficaz para certas enfermidades e coadjuvantes para outras.

A fitoterapia é uma forma terapêutica eficaz e tende a ser menos agressiva ao corpo, porém independente de ser natural deve ser encarada como medicamento desde que: se for infusão ou decocção (chás) ele seja de procedência conhecida, ou seja, coletado in natura de forma adequada, ou comprados em ervanários que obedeçam as condições de vigilância sanitária. Chás de sachês não são medicamentos, são alimentícios. Outras formas como tinturas, xaropes, melitos, cápsulas tem ação terapêutica e necessita da orientação de profissionais capacitados.

Quando se trata de animais de estimação a fitoterapia pode ser aplicada sem receio. Em geral as dosagens podem ser aplicadas em gramas quando se trata de chás sendo para os responsáveis uma forma com menor custo, mais viável, mais prática não deixando a desejar na eficácia, mas ás vezes se fazem necessárias formas farmacêuticas mais precisas e com mais biossegurança, e esses casos requerem 100% da orientação e acompanhamento profissional capacitado.

As aplicações simples de uso externo que auxiliam casos corriqueiros podem ser compressas para certas lesões oculares, outras para ação de limpeza e cicatrização de ferimentos de pequeno porte e auxilio nos de grande porte (caso seja necessário pontos ou pós cirúrgico), para a limpeza dos dentes e para diminuição de tártaro, aftas e qualquer lesão bucal.

Alguns melitos (xarope de mel) para aliviar sintomas de gripe canina dentre outras enfermidades no trato respiratório. Outros preparos que também podem ser manipulados para distúrbios gastro intestinais, como gastrites, diarréias, gases presos etc. Também aplica – se fitoterápicos para expelir parasitas (vermes).

Compartilhe